Vida Cristã - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

6ª feira da 5ª Semana do TC

  • 1ª Leitura
  • Salmo
  • Evangelho
  • Sabor da Palavra

Gênesis 3,1-8

1 A serpente era o mais astuto de todos os animais dos campos que o Senhor Deus tinha feito. Ela disse à mulher: “É verdade que Deus vos disse: ‘Não comereis de nenhuma das árvores do jardim’?” 2 E a mulher respondeu à serpente: “Do fruto das árvores do jardim nós podemos comer. 3 Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus nos disse: ‘Não comais dele nem sequer o toqueis, do contrário morrereis’”. 4 A serpente disse à mulher: “Não, vós não morrereis. 5 Mas Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão e vós sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. 6 A mulher viu que seria bom comer da árvore, pois era atraente para os olhos e desejável para obter conhecimento. E colheu um fruto, comeu e deu também ao marido, que estava com ela, e ele comeu. 7 Então, os olhos dos dois se abriram; e, vendo que estavam nus, teceram tangas para si com folhas de figueira. 8 Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava pelo jardim à brisa da tarde, Adão e sua mulher esconderam-se do Senhor Deus no meio das árvores do jardim.

Palavra do Senhor.

Sl 31(32)

Feliz aquele cuja falta é perdoada!

Feliz o homem que foi perdoado / e cuja falta já foi encoberta! /
Feliz o homem a quem o Senhor † não olha mais como sendo culpado /
e em cuja alma não há falsidade! – R.

Eu confessei, afinal, meu pecado / e minha falta vos fiz conhecer. /
Disse: “Eu irei confessar meu pecado!” / E perdoastes, Senhor, minha falta. – R.

Todo fiel pode, assim, invocar-vos / durante o tempo da angústia e aflição, /
porque, ainda que irrompam as águas, / não poderão atingi-lo jamais. – R.

Sois para mim proteção e refúgio; / na minha angústia me haveis de salvar /
e envolvereis a minha alma no gozo / da salvação que me vem só de vós. – R.

Marcos 7,31-37

Naquele tempo, 31 Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole. 32 Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33 Jesus afastou-se com o homem para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e, com a saliva, tocou a língua dele. 34 Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer “abre-te!” 35 Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade. 36 Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37 Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”.

Palavra da salvação.

Restituir a dignidade de toda criatura

Mc 7,31-37

“Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar” (Mc 7,37)

O evangelho de hoje nos mostra o carinho e a atenção que Jesus dava àqueles que eram excluídos da sociedade através da sua condição física e social.

A partir da cura que Jesus realizou é possível entendermos que o Reino de Deus é preferencial para os mais pobres, marginalizados e oprimidos. Em todas as suas ações, Jesus sempre está ao lado dos mais fracos, dando a eles esperança e acima de tudo restituindo a dignidade de filhos de Deus.

Como cristãos, é assim que devemos agir. Procuremos cada vez mais defender a justiça, a igualdade, tudo por amor de Deus, percebendo que os excluídos fazem parte do Reino de Deus. Somos chamados a fazer o bem e não apenas ser bom.

Portanto, caríssimos, devemos pensar sobre a nossa forma de agir. Ela condiz com o que Cristo nos manda? Caso contrário, devemos mudar, porque nunca é tarde para recomeçar, pois fazer o bem faz bem.

Reflexão feita pelos noviços.